segunda-feira, 19 de dezembro de 2011

Brasil terá bioinseticida contra dengue em 2012

O país contará com um importante aliado para combater a dengue no próximo ano. Um bioinseticida desenvolvido pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) e fabricado por uma indústria farmacêutica promete ser divisor de águas na luta contra o Aedes aegypti, mosquito transmissor da doença.
O bioinseticida é resultado de quase dez anos de pesquisas coordenadas pela cientista Elizabeth Sanches, que trabalha na Farmanguinhos, unidade da Fiocruz responsável pela produção de medicamentos. Criado a partir do Bacillus thuringiensis e do Bacillus sphaericus, ele será produzido na forma de comprimidos, para dissolução em caixas d´água, ou em apresentações maiores, para utilização em açudes e reservatórios.
“No caso da dengue domiciliar, é recomendável a utilização do comprimido hidrossolúvel. O produto tem duas ações concomitantes: paralisa os músculos da boca e do intestino da larva e causa infecção generalizada nela”, explicou Elizabeth, engenheira bioquímica e bióloga.
A pesquisadora garantiu que o bioinseticida não apresenta qualquer risco para o meio ambiente. “Nós fizemos todos os testes referentes a impacto ambiental e toxicologia da formulação em animais de sangue quente, inclusive. Temos a segurança dos produtos que desenvolvemos, justamente por serem aplicados em ambientes domiciliares.
A Farmanguinhos concluiu o treinamento dos funcionários da empresa BR3, vencedora da licitação e que poderá iniciar a produção dentro de alguns meses, segundo Elizabeth. “A empresa acabou de ser treinada e está bem adiantada na implantação do projeto. Eu penso que no meio do ano que vem nós já tenhamos produtos dessa parceria tecnológica”.
Além do produto contra a dengue, a Farmanguinhos licenciou mais dois bioinseticidas: contra a malária e contra a elefantíase. A pesquisadora disse que produtos com ações semelhantes já são utilizados em outros países, como a China, mas não podem ser simplesmente importados para aplicação no Brasil: “O produto tem que ser desenvolvido com especificidade para o local de aplicação. Justamente para podermos ajustar a formulação para aquele ambiente”.

Da Agência Brasil

segunda-feira, 5 de dezembro de 2011

Governo diz que 48 cidades correm risco de epidemia de dengue no País

Os dados do Liraa (Levantamento de Índice Rápido de Infestação por Aedes aegypti) do Ministério da Saúde foram divulgados nesta segunda-feira e revelaram que 48 municípios brasileiros estão em situação de risco para ocorrência de surto de dengue. O estudo foi realizado pelo governo federal  em parceira com as secretarias municipais de saúde, entre os meses de outubro e novembro deste ano.
Nos municípios em situação de risco, mais de 3,9% dos imóveis pesquisados apresentaram larvas do mosquito. Ao todo participaram 561 cidades. O mapa revelou ainda que 4,6 milhões de pessoas vivem em áreas de risco para epidemia de dengue. A nova avaliação aponta, ainda, que 236 cidades estão em alerta (com índice entre 1% e 3,9%) e 277 possuem índice satisfatório, abaixo de 1%.
Os municípios em situação de risco, incluindo três capitais - Rio Branco (AC), Porto Velho (RO), Cuiabá (MT) - estão localizados em 16 estados brasileiros: quatro na Região Norte; sete no Nordeste ; três no Sudeste; um no Centro-Oeste e um na Região Sul.

Estado de alerta

Entre as capitais em situação de alerta, destacam-se Salvador, com índice de infestação de 3,5%; Recife (3,1); Belém (2,2); São Luis (1,6%); e Aracaju (1,5%). Fortaleza e Natal, que no ano passado estavam em estado de alerta, passaram para situação considerada satisfatória, com índices de infestação de 0,9 e 0,8, respectivamente.

Neste ano, o estudo foi ampliado para 561 municípios, um acréscimo de 53% com relação a 2010, quando foi realizado em 427 cidades. O levantamento passará a ser feito três vezes ao ano. A medida tem como objetivo possibilitar que as comunidades conheçam os lugares mais críticos.

Proliferação

Na região Norte, a predominância dos criadouros do mosquito está concentrada nos resíduos sólidos de lixo (44% dos imóveis analisados). Já na Região Nordeste o problema está relacionado ao abastecimento de água (caixas de água, tambores, poços) onde se encontram 72,1%.

Os principais focos (46,9%), na Região Sudeste, estão nos depósitos domiciliares (vasos, pratos, bromélias, ralos, lages e piscinas). No Centro-Oeste os criadouros estão relacionados ao abastecimento de água e, no Sul, ao lixo.
Veja a lista dos municípios que correm risco de epidemia
Acre
Brasileia
Epitaciolândia
Porto Acre
Rio Branco
Senador Guiomard


Alagoas
Arapiraca
Palmeira dos índios

Bahia
Ilhéus
Itabuna
Jequié
Simões Filho


Mato Grosso
Cuiabá

Minas Gerais
Governador Valadares

Pará
Dom Elizeu
Marabá
Paraupebas
Tucuruí

Paraíba
Cajazeiras
Catolé do Rocha
Monteiro
Piancó


Paraná
Guaíra
Loanda
Nova Londrina
Sarandi

Pernambuco
Afogados da Ingazeira
Araripina
Arcoverde
Camaragibe
Floresta
Guaranhuns
Santa Cruz do Capiberibe

Piauí
Água Branca
São Raimundo Nonato

Rio de Janeiro
Itaboraí
São Fidelis


Rio Grande do Norte
Currais Novos
Mossoró

Rondônia
Buritis
Espigão D’Oeste
Ouro Preto do Oeste
Porto Velho


Roraima
Bonfim
Mucajal
Pacaraíma


São Paulo
Catanduva

Sergipe
Laranjeiras
Maruim

sexta-feira, 25 de novembro de 2011

Homem pode ser processado por foco da dengue

A cidade de Praia Grande, litoral da Grande São Paulo, fecha o cerco no combate à dengue. Agora proprietários de imóveis fechados que não tomarem providências contra os criadouros do mosquito Aedes aegypti podem ser processados pelo Ministério Público, sob pena de até 15 anos de prisão por crime à saúde pública, prevista no Código Penal.

O infrator estará infringindo o artigo 267, por “causar epidemia, mediante a propagação de germes patogênicos”. Tal ação não é à toa. A cidade possui cerca de 60% dos imóveis fechados para veraneio, totalizando quase 160 mil. Somente em 2010 foram registrados 8.142 casos da doença, neste ano até agora 49 pessoas contraíram a dengue.

Segundo o promotor público Alexandre Augusto Cruz Feliciano, o Código Penal também prevê punição para situações de menor gravidade. “Nesse caso, a infração pode resultar em penas menores como prestação de serviços à comunida de e multa. O fato é que se o cidadão não colaborar estará cometendo crime contra a saúde pública”, alerta.

No entanto, os proprietários de tais imóveis não serão processados de imediato. “Se os agentes conseguirem visualizar criadouros no interior da casa o dono será contatado, até por meio do cadastro municipal. Se não tomar nenhuma atitude será acionado judicialmente, mas sempre em último caso”, explica o infectologista Sergio Feijoó Rodriguez, assessor técnico do gabinete do secretário de saúde de Praia Grande.

Para Karina Kufa, secretária geral da comissão de  direito administrativo da OAB São Paulo, o Poder Público tem todo o direito de tomar essas medidas. “Por outro lado, o proprietário que for processado deve mostrar em sua defesa se realizou ou não ações contra os criadouros do mosquito. No entanto, ele não pode alegar desconhecer a lei. Nesse caso, é recomendado que cuidem da sua propriedade, fazendo a limpeza adequada ou pagando um caseiro para ajudar nisso”, afirma.


LEIA MAIS.

quarta-feira, 16 de novembro de 2011

Brasil tenta evitar nova epidemia de dengue

O Brasil está em alerta mais uma vez contra a dengue e tenta evitar aquela que seria a 7ª epidemia da doença nos últimos 30 anos. Desde o primeiro caso registrado em 1845, o país já passou por seis grandes epidemias (1982, 1986, 1998, 2002, 2008, 2010).

A falta de saneamento básico dificulta o combate ao mosquito transmissor da doença, Aedes aegypti, e a ausência de uma coleta de lixo eficiente proporciona condições ideais para ele se proliferir. Só no ano passado, o Ministério da Saúde contabilizou um milhão de casos.

Nesse ano, nos nove primeiros meses, 721.546 casos foram confirmados. Registrando uma redução de 24%, entre janeiro a setembro, em comparação com o mesmo período do ano passado. As mortes diminuíram 25% e os casos graves da doença, 40%, mas apesar da redução, os números ainda assustam.

Ainda de acordo com o Ministério da Saúde, a Região Sudeste tem o maior número de casos (343.731 -  47,6%), seguida da Região Nordeste (184.663 - 25,6%), Norte (113.638 - 15,7%), Centro-Oeste (44.552 -  6,2%) e Sul (34.962 - 4,8%).  Além disso, aproximadamente 54,4% dos casos do país concentram-se em quatro Estados:  Rio de Janeiro (21,6%),  São Paulo (15,7%), Amazonas (8,7%) e Ceará (8,5%).

Fonte: BAND.COM.BR

"MMA Contra a Dengue"

Vinte lutadores experientes e profissionais contra um peso pena capaz de derrotar o mais bem preparado dos combatentes. Este será o cenário do ‘MMA Contra a Dengue’, que será realizado no dia 27 de novembro em um octógono que será montado na Praça do Pacificador, em Duque de Caxias. Criado pelo Governo do Estado do Rio de Janeiro, o evento, com entrada gratuita, vai promover 10 lutas entre atletas nacionais e estrangeiros de Mixed Martial Arts em torno de um objetivo: o combate ao mosquito Aedes Aegypit. A ideia é alertar a população da importância de aderir à campanha ‘10 Minutos Contra a Dengue’, evitando, assim, a proliferação dos focos do mosquito e o surgimento de uma epidemia da doença.

LEIA MAIS.

terça-feira, 1 de novembro de 2011

Como evitar o mosquito da dengue em vasos de flores no dia de Finados

Grupo usa mosquitos geneticamente modificados para combater dengue

Mosquitos alterados em laboratório para carregarem um gene fatal para seus filhotes são a nova arma dos cientistas contra a dengue. Os resultados positivos da técnica foram apresentados pela primeira vez nesta semana, na edição online da revista britânica Nature Biotechnology.
O grupo da Universidade de Oxford, apoiado pela empresa privada Oxitec, soltou nas ilhas Cayman mosquitos Aedes aegytpi geneticamente modificados.
Esses insetos cruzaram com as fêmeas da espécie e produziram filhotes com um defeito genético que os fazia morrer antes de chegar à idade de reprodução.
Após a inserção dos mosquitos de laboratório, a população do A. aegypti no arquipélado caiu. Foi a primeira vez que a técnica, prevista na teoria, funcionou na prática, em ambiente selvagem.

Um problema da armadilha dos cientistas é que o sucesso dos insetos de laboratório na busca por uma parceira foi a metade do obtido pelos mosquitos selvagens, que seguem se reproduzindo normalmente.
A malária, que também é transmitida por mosquitos, também pode ser atacada com a técnica, acreditam os pesquisadores.
Não existe vacina contra a dengue. Até o momento, a única forma de evitar a doença é o controle do mosquito.

segunda-feira, 31 de outubro de 2011

Semana da saúde do servidor.



A Coordenação de Vigilância e Controle da Dengue e o Grupo Técnico Mobilização e Educação em Saúde, participaram da semana do servidor promovida pela Prefeitura do Jaboatão dos Guararapes entre os dias 25 e 27 de outubro.

Além dos serviços de saúde, com aplicação de vacinas, aferição de pressão, medida HGT e instruções sobre escovação, prevenção à dengue e às doenças sexualmente transmissíveis. Os servidores participaram de palestras, receberam instruções sobre plantio de orgânicos, massagens terapêuticas, e aprenderam artesanato.

quarta-feira, 19 de outubro de 2011

Alteração em 2 genes pode levar a dengue hemorrágica, diz estudo.

Pesquisadores no Vietnã e em Cingapura identificaram duas variações genéticas que podem deixar a pessoa mais propensa a desenvolver dengue hemorrágica. A pesquisa foi divulgada na revista científica "Nature Genetics", ramificação da "Nature", e pode trazer pistas sobre como o corpo responde à infecção.
O estudo comparou 2.008 crianças doentes com outras 2.018 saudáveis. Outra pesquisa independente repetiu o procedimento com 1.737 casos de infecção comparados com 2.934 pessoas sem a doença.
Mosquito da dengue (Foto: Divulgação)
Nas crianças, a dengue hemorrágica provoca o vazamento de parte do sangue dentro dos vasos para os tecidos no corpo. Essa situação pode levar à síndrome de choque da dengue, quando o pulso do paciente e a pressão arterial não conseguem ser detectados e existe risco de morte.
As alterações acontecem nos genes MICB, no cromossomo 6, e PLCE1, no cromossomo 10. O DNA do corpo humano possui 23 pares de cromossomos, que reúnem toda a informação genética do organismo. O primeiro atua no sistema de defesa do corpo contra ameaças como vírus e quando alterado pode comprometer a capacidade do organismo de se defender contra infecções. Já o segundo pode estar ligado à tendência do corpo em permitir o vazamento de sangue dos vasos.
A dengue é a infecção mais comum a ser transmitida por mosquitos depois da malária, com cerca de 100 milhões de infecções por ano no mundo. Os sintomas vão desde febre alta até complicações que podem ameaçar a vida do paciente. Não existe vacina comprovada e licenciada para a doença.
Segundo a Organização Mundial da Saúde, 2,5 bilhões de pessoas no mundo correm o risco de serem infectadas pela doença. Para os pesquisadores, o estudo é importante por ser o primeiro a comparar mudanças genéticas para a dengue entre pessoas saudáveis e doentes.

terça-feira, 18 de outubro de 2011

Dia do Médico

Aquele que cura, quando possível; alivia, quase sempre; e consola, todos os dias. Toda nossa admiração e gratidão a todos médicos.

segunda-feira, 17 de outubro de 2011

Coordenação da Dengue em Jaboatão participa das comemorações do dia do comerciário.

O SESC comemora o feriado do Dia dos Comerciários nesta segunda, 17, com uma grande festa que pretende reunir milhares de pessoas no clube SESC de Piedade. Com diversas atividades voltadas para os trabalhadores da classe, a comemoração tem inicio às 9 horas. Atendendo ao convite, a Coordenação de Vigilância e Controle da Dengue participa do evento com o seu tradicional teatrinho de bonecos, educação em saúde e panfletagem.

quinta-feira, 13 de outubro de 2011

40 novos agentes de controle de endemias temporários no combate à dengue


Nos dias 5,6 e 7 de outubro ocorreu o treinamento dos novos agentes de controle de endemias, que foram contratados temporariamente através de seleção realizada em setembro de 2011. Os novos agentes farão parte de uma força tarefa no qual serão inseridos nos serviços de rotina no controle vetorial.
Os 40 novos agentes tiveram treinamento em: dengue, leptospirose, filariose, esquistossomose, raiva e riscos não biológicos.
Nos dias 10 e 11 de outubro, eles aplicaram os conhecimentos na localidade do Lote 23 acompanhados de perto pelos supervisores.

Ministério: mortes por dengue caem 25% em 2011 no Brasil

O Ministério da Saúde divulgou nesta terça-feira dados da epidemia de dengue no primeiro semestre de 2011. Os índices apresentaram melhoras. O número de mortes caiu 25% em comparação com o mesmo período do ano passado e as notificações de dengue diminuiram 24%, quando os casos considerados graves tiveram redução de 40%. Segundo o ministério, cerca de 90% dos casos de dengue acontecem no primeiro semestre do ano, especialmente no verão, devido a quantidade de chuvas.
Para o enfrentamento da epidemia no verão de 2012, o ministério vai usar o microblog Twitter como forma de detectar em tempo real informações sobre a dengue por região geográfica. Palavras como dengue, hemorragia ou qualquer outro termo que possa ser relacionado à doença para rastrear casos em diferentes regiões do Brasil darão o alerta. O monitoramento por redes sociais começa em novembro deste ano para municípios com mais de 100 mil habitantes. Os alertas serão acompanhados pelo sistema de vigilância em saúde.
"Vamos fazer experiência de monitoramento pelas redes sociais, o que hoje só pode ser feito no momento em municípios com mais de 100 mil habitantes. Primeiro pelo Twitter, e depois vamos expandir para o Facebook. Esse monitoramento vai possibilitar ao gestor ter mais uma fonte de informação", disse o ministro da Saúde, Alexandre Padilha.
Outra iniciativa do governo é o incentivo financeiro a 989 municípios para que as ações de combate à epidemia sejam mais efetivas. Para receber o recurso adicional de 20% sobre os piso fixo de vigilância e promoção da saúde, o município deverá apresentar um plano de contingência com detalhamentos das ações a serem desenvolvidas. Ao todo, o adicional deverá chegar à cifra de R$ 90 milhões.
Nos locais com mais casos de mortes, o ministério poderá enviar reforço da Força Nacional de Saúde. Além disso, o governo federal acompanhará mais de perto os estados que apresentarem maior risco de contaminação, além de reuniões com representantes de mais de um estados por região. O Ministério da Saúde promete ainda monitorar, por meio de redes sociais, a situação epidemiológica.

Alface poderá ser vacina comestível contra a dengue

O alface pode se transformar em uma arma contra a dengue. Cientistas da Universidade de Brasília e da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) deverão estudar o uso da verdura geneticamente modificada como vacina comestível contra a doença.
Segundo o especialista da Embrapa em plantas transgênicas Francisco Aragão, a técnica consiste na inoculação de partículas do vírus nas folhas da planta.
“Uma das dificuldades é que a pessoa não poderia comer uma salada e ficar imune à doença. Seria preciso controlar a quantidade exata de proteínas do vírus em cada folha”, explica, acrescentando que para isso seria preciso criar e monitorar condições de temperatura e luminosidade no plantio.
Atualmente, a equipe trabalha no desenvolvimento de teste capaz de diagnosticar a dengue em até 24 horas, usando como reagente as folhas modificadas.
Ontem, o Ministério da Saúde anunciou que vai destinar mais R$ 90 milhões aos municípios que apresentarem propostas inovadoras de combate à dengue. A verba será destinada a 989 municípios. O órgão também informou que vai promover ações de capacitação rápida de 66 mil profissionais de saúde em todo País.

segunda-feira, 3 de outubro de 2011

Mosquito da dengue e febre amarela é atraído por dióxido de carbono e odores exalados pelos humanos

Para pesquisadores, a descoberta pode ajudar na elaboração de armadilhas mais eficazes contra os insetos


É por meio do dióxido de carbono que exalamos e do odor da nossa pele que os mosquitos nos encontram, afirma pesquisa realizada na Universidade da Califórnia. De acordo com o estudo, por meio desses cheiros as fêmeas dos insetos conseguem encontrar quem morder e, assim, espalhar doenças como dengue e febre amarela.

Saiba mais

DENGUE
É a doença endêmica mais disseminada no Brasil, presente em todos os estados. Causa febre aguda, e pode matar. Os sintomas podem não aparecer ou também se manifestar por dores de cabeça, febre e dores no corpo. Transmitida pela fêmea do mosquito Aedes aegypti, criados preferencialmente em ambientes onde há focos de acúmulo de água parada. O inseto transmite o vírus do gênero Flavivírus, pertencente à família Flaviviridae. Possui quatro tipos conhecidos: 1, 2, 3 e 4.
FEBRE AMARELA
É um vírus transmitido por mosquitos por duas formas: urbana e silvestre. Somente esta última existe no Brasil atualmente, transmitida por macacos silvestres. É uma doença infecciosa febril aguda, sua gravidade é variável, lesa principalmente o fígado e pode matar por insuficiência hepática. Só existe na América do Sul e na África. Os transmissores são os mosquitos infectados pelo vírus do gênero Flavivirus. Nas regiões urbanas, por exemplo, é transmitida pelo Aedes aegypti.
O estudo, publicado no The Journal of Experimental Biology, constatou que as fêmeas do Aedes aegypti, responsáveis por transmitir febre amarela e dengue, são atraídas primeiramente pelo dióxido de carbono. Somente depois seguem os odores característicos da pele para, eventualmente, aterrissar em um hospedeiro humano.
Os pesquisadores filmaram o voo das fêmeas do mosquito da febre amarela dentro de um túnel de vento. Foi observado que esses insetos voaram somente por pouco tempo contra sopros leves de dióxido de carbono, mas persistiram contra nuvens turbulentas da substância, situação esta que imitava a presença de um hospedeiro humano. Por outro lado, quando se tratava de odores humanos, a orientação dos mosquitos foi melhor quando o cheiro era vasto e invariável em sua intensidade, assim como poderia ocorrer na aproximação de um hospedeiro em potencial.
Ring Cardé, professor de entomologia da Universidade da Califórinia e principal autor do estudo, explica que o dióxido de carbono é percebido mais facilmente pelos mosquitos, enquanto a resposta aos odores da pele humana requer uma exposição mais longa para provocar o voo dos mosquitos. "A sensibilidade dos mosquitos ao dióxido de carbono permite que os insetos respondam quase instantaneamente até mesmo às menores quantidades de gases", explica o pesquisador.
O dióxido de carbono é capaz de atrair sozinho esses mosquitos, sem precisar da assistência de outros odores. Entretanto, os odores da pele só se tornam significativos quando o mosquito está perto do hospedeiro e pode escolher onde morder. O pesquisador explica que a sensibilidade dos mosquitos a odores da pele aumentou de 5 a 25 vezes após receber um sopro de dióxido de carbono.
Para os autores do estudo, essa pesquisa pode ajudar os cientistas a desenvolver armadilhas efetivas para capturar esses mosquitos e combater as doenças que transmitem.

quinta-feira, 29 de setembro de 2011

EUA: autoridades da Flórida confirmam 2º caso de dengue

Um segundo morador do condado de Miami-Dade, no sul do Estado americano da Flórida, contraiu dengue e já se encontra totalmente recuperado, confirmaram nesta quinta-feira as autoridades sanitárias locais.
A pessoa infectada é um homem de 44 anos. "O homem se recuperou completamente de sua doença", afirmou comunicado das autoridades.
Vincent Conte, diretor de Epidemiologia do Departamento de Saúde destacou que estes casos indicam que se trata de uma doença que está na região e não foi trazida de fora.
O Departamento de Saúde do condado explicou que a doença pode ser transmitida de um ser humano a outro por um mosquito que tenha picado uma pessoa com a doença.
Os sintomas são dor de cabeça, febre alta, enjôos, dor intensa nas articulações e músculos, erupção cutânea e sangramento leve no nariz ou gengivas.
A dengue é transmitida pela picada do mosquito aedes aegypti. De acordo com o Centro de Controle e Prevenção de Doenças (CDC, na sigla em inglês), a doença afeta a cada ano cerca de cem milhões de pessoas no mundo.

Fonte: TERRA

segunda-feira, 19 de setembro de 2011

Resultados Vº LIRAa



No período de 05 à 09 de setembro de 2011 foi realizado o V° LIRAa (Levantamento de Índice Rápido do Aedes aegypti) em Jaboatão dos Guararapes. O LIRAa é uma ferramenta que possibilita a identificação de áreas com risco de transmissão da dengue, mediante a identificação de imóveis com criadouros do mosquito transmissor da doença. A partir dos resultados obtidos nós poderemos intervir, de forma rápida, nos locais que apresentarem os maiores índices de infestação do mosquito da dengue, diminuindo o risco de transmissão no município.

Clique aqui e veja os resultados do Vº LIRAa por bairro.

segunda-feira, 12 de setembro de 2011

O bairro de Santo Aleixo vai receber o CINE DENGUE

 Nesta quarta-feira(14/09/2011), a Coordenação de Vigilância e Controle da Dengue do Município do Jaboatão dos Guararapes irá realizar no bairro de Santo Aleixo o CINE DENGUE, no local será apresentado um vídeo sobre a dengue e o mosquito transmissor, além de panfletagem e a presença de arte-educadores para esclarecer dúvidas.

DATA:  14/09/2011                          HORÁRIO:  17:30                             

LOCAL: Rua Chile, em frente ao Armarinho de Dona Nenem.

Ameaça de dengue volta com a proximidade do verão

segunda-feira, 29 de agosto de 2011

Bebês podem ajudar a definir melhor idade para aplicação de vacina contra a dengue


Pesquisadores da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) em Pernambuco querem saber como é o comportamento da dengue em bebês. Eles vão acompanhar 400 bebês na capital, Recife, para investigar se algum tipo de vírus da doença incide mais entre os pequenos e por quanto tempo os anticorpos passados pela mãe protegem o bebê.
Os pesquisadores esperam também conseguir informações sobre a faixa etária em que a vacina contra a dengue deve ser aplicada, quando o imunizante estiver disponível no mercado. “Poderemos saber qual a melhor idade para vacinar, porque isso muda de um país para o outro”, disse a epidemiologista Cynthia Braga, coordenadora do trabalho.
Em abril, gestantes passaram a ser recrutadas na maternidade do Instituto de Medicina Integral Professor Fernando Figueira, entidade filantrópica que atende à população de baixa renda, pelo Sistema Único de Saúde (SUS). Até agora, 200 mulheres já foram escolhidas. A seleção deve terminar em fevereiro do ano que vem.
No dia do parto, os pesquisadores vão colher sangue das mães e do cordão umbilical. Em metade dos bebês, serão coletadas amostras no segundo, sexto e décimo mês de vida. Nas outras 200 crianças, as coletas serão feitas no quarto, oitavo e décimo segundo mês.
Toda vez que os bebês ficarem doentes ou apresentarem febre, o sangue será coletado novamente pelo grupo de pesquisa para checar se estão com dengue. “[A dengue] Pode ser confundida com outras doenças, como uma gripe”, explicou a coordenadora. O acompanhamento vai durar até as crianças completarem 1 ano de vida.
O tema da pesquisa surgiu a partir de estudos feitos em países da Ásia, que apontaram os bebês como as principais vítimas de casos graves de dengue. Nessa região do mundo, acredita-se que o anticorpo da mãe pode sofrer transformação no organismo dos bebês e aumentar o risco de os menores desenvolverem as formas mais agudas da doença, segundo Cynthia Braga. Com o estudo, será possível comparar a reação dos bebês brasileiros com as dos asiáticos.
A coordenadora destaca que os registros no Brasil mostram que os casos graves são frequentes em crianças maiores e adultos. Há, conforme ela, pouca informação sobre a incidência da doença nos bebês daqui.
O último levantamento do Ministério da Saúde, divulgado em julho, constatou que das 310 mortes registradas no primeiro semestre deste ano, 73 foram em menores de 15 anos de idade (23,5%). Dos 8.102 casos graves no mesmo período, foram identificados 2.794 casos em crianças e adolescentes (34%). E, desde 2008, pelo menos 25% dos pacientes internados em decorrência da dengue têm menos de 15 anos de idade.

Gripe, dengue e até aids: nova droga promete curar praticamente todas as infecções virais

Pesquisadores do MIT desenvolvem medicamento que age contra algo comum a todos os vírus que atacam células humanas: uma fita dupla de RNA. Embora promissora, a abordagem ainda passará por inúmeros testes.

 

Poucos medicamentos funcionam contra os vírus. Os antivirais têm uma ação mais limitada do que antibióticos e antifúngicos e não agem sobre todos os tipos de infecções. Na maioria das vezes, limitam-se a impedir que os vírus consigam se reproduzir. Mas pesquisadores do Instituto de Tecnologia de Massachusetts (MIT, na sigla em inglês), nos Estados Unidos, acreditam ter dado um passo além: eles criaram uma droga, DRACO (sigla para Double-stranded RNA Activated Caspase Oligomerizers), capaz de identificar as células infectadas e matá-las, dando fim à infecção. A pesquisa, publicada no periódico científico especializado PLoS One, pode representar o fim de doenças como a gripe, dengue, hepatite C e até da aids.
Os pesquisadores testaram a droga em culturas de células de humanos e ratos infestadas por quinze tipos de viroses. A abordagem se mostrou eficaz em todos os casos — incluindo os altamente resistentes rinovírus (responsáveis por resfriados), influenza H1N1, vírus da pólio, vírus da dengue e outros tipos responsáveis por perigosas febres hemorrágicas. A equipe também conduziu testes com camundongos e obtiveram sucesso.

Bactéria torna mosquito do Dengue imune ao vírus

Uma bactéria pode ser a barreira para travar o dengue, doença que atinge entre 50 a 100 milhões de pessoas no mundo tropical e subtropical, mostram dois estudos publicado na edição da última quinta-feira da revista Nature.
 “Os resultados mostram que podemos transformar completamente populações locais [de mosquitos] em poucos meses”, disse Michael Turelli, biólogo da Universidade da Califórnia, EUA. “É a selecção natural alimentada por esteróides.”

O dengue é provocado por quatro estirpes de um vírus que infecta as pessoas através das picadas do mosquito Aedes aegypti. O vírus causa febre, dores musculares e pode ser fatal, nos casos de febre hemorrágica. Cerca de 20 mil pessoas morrem anualmente desta doença. Não existe vacina e uma forma de luta contra a doença é o controlo da população de mosquitos.

Em 2009, a equipa de Turelli, que envolve vários investigadores de universidades da Austrália, resolveu utilizar a bactéria Wolbachia que existe naturalmente nos mosquitos para encurtar o tempo de vida do insecto e prevenir o desenvolvimento do vírus. A primeira tentativa revelou-se um falhanço, porque a bactéria era muito forte e matava rapidamente os mosquitos.

Os investigadores voltaram para o laboratório e lembraram-se de utilizar uma estirpe da Wolbachia menos violenta. Acabaram por obter outro resultado, inesperado: a bactéria impedia o insecto de ficar infectado pelo vírus do dengue sem matar o mosquito. Os cientistas não sabem ainda como é que a bactéria protege o mosquito do vírus. Poderá ser um processo molecular, um aumento da resposta imunitária ou ambos.

segunda-feira, 15 de agosto de 2011

UFMS obtém parecer favorável para pesquisa com vacina contra dengue



A CTNBio (Comissão Técnica Nacional de Biossegurança) publicou hoje (15) no Diário Oficial da União parecer favorável à solicitação de Parecer Técnico para de extensão de Certificado de Qualidade de Biossegurança, para realização das atividades de pesquisa com a Vacina CYD contra Dengue nas instalações do Hospital Universitário Maria Aparecida Pedrossian, da UFMS (Universidade Federal do Mato Grosso do Sul), em Campo Grande.
Oprojeto a ser desenvolvido nestas instalações é denominado "Projeto CYD15 - Eficácia e Segurança da vacina CYD contra Dengue em crianças e adolescentes sadios com 9 a 16 anos de idade no Brasil", sob a responsabilidade do Dr. Rivaldo Venâncio da Cunha.
De acordo com o parecer, o processo encaminhado à CTNBio descreve as condições de biossegurança das áreas a serem cadastradas, as medidas de biossegurança propostas para o laboratório e a qualificação da equipe de pesquisadores envolvida no projeto, bem como a declaração formal do responsável assegurando que as condições descritas no processo são apropriadas à realização das atividades propostas.
A Comissão considerou ainda que os protocolos experimentais e as demais medidas de biossegurança propostas atendem às normas da CTNBio e à legislação pertinente que visam garantir a biossegurança do meio ambiente, agricultura, saúde humana e animal. 

Fonte: http://www.midiamax.com/noticias/765206-ufms+obtem+parecer+favoravel+para+pesquisa+com+vacina+contra+dengue.html

quinta-feira, 11 de agosto de 2011

Prefeitura com Você estará na Regional Cavaleiro

 O Prefeitura com Você volta a Regional Cavaleiro, nesta quinta-feira (11/08), só que desta vez o bairro contemplado é o Loteamento Grande Recife, na Avenida Conde Pereira Carneiro, próximo a Escola Petrônio Portela. A gestão participativa realiza os serviços de saúde e cidadania no horário das 8h às 17h. O programa traz ainda o prefeito Elias Gomes que debate com moradores da localidade as prioridades para serem executadas na comunidade.

Serão oferecidos testes de glicemia, aferição de pressão, orientação sobre higiene bucal e DTS/AIDS e informativos sobre a dengue. Além disso, os interessados nas atividades podem solicitar a emissão de documentos como 2ª e 3ª via de certidões de nascimento e óbito, orientação do Procon, palestras da Agência do Trabalho, cadastramento no Bolsa Família. O trabalho se estende por ruas com ações de capinação e terraplenagem.

Leia Mais.

segunda-feira, 8 de agosto de 2011

Jaboatão Contra a Dengue no Criança Esperança

Teatrinho de Bonecos da Dengue no Criança Esperança



Combate à Dengue é destaque no Dia da Esperança

 O 14º BIMTZ do Exército, em Socorro, em Jaboatão dos Guararapes, se transformou em um batalhão em prol do serviço social. Várias pessoas acordaram cedo para receberem diversos atendimentos, entre elas, Ana Karoline, de 7 anos. Sua primeira parada foi no estande sobre o mosquito da Dengue. Assim como ela, várias crianças receberam informações de como prevenir a doença. “Não devemos deixar acumular água em pneus e vasilhas, pois, o mosquito pode colocar seus ovos”, resume Ana.
Isso ocorreu devido ao Dia da Esperança, realizado pela Rede Globo e UNESCO, com apoio de parceiros, entre eles, a Prefeitura do Jaboatão dos Guararapes que, na oportunidade, disponibilizaram diversos serviços gratuitos aos jaboatanenses. A aposentada Laura de Mesquita, 52 anos, aproveitou a oportunidade e levou os filhos. “Achei muito interessante as informações sobre a Dengue e estaremos lutando para evitar a proliferação da Dengue”, afirma.
Para José Lancart, gerente de Vigilância em Saúde, “além da Dengue, estamos informando sobre a tuberculose e hanseníase. É um momento onde estamos sensibilizando as pessoas para reduzir os índices de contaminação com essas doenças”, explicou.

sexta-feira, 5 de agosto de 2011

Caminhada alerta para o combate à dengue

Moradores da Regional 06 realizaram caminhada nesta quinta-feira (4), para alertar sobre a importância do combate à dengue. Os manifestantes saíram da Escola Vidal Negreiros, de Candeias seguindo até a Escola Cecília Meirelles, em Jardim Copacabana. A caminhada estava prevista para o dia 19 de julho mas foi adiada para o dia 04 de agosto por conta das chuvas.
Participaram integrantes Centro de Vigilância Ambiental (CVA), vigilantes de Endemias, Agentes Comunitários de Saúde (ACS), todos os funcionários e a coordenação da Regional 06, além dos alunos da Escola Vidal Negreiros, em Candeias.

Leia mais.

quinta-feira, 4 de agosto de 2011

Dia D de combate à dengue chega a comunidade de Jardim Copacabana


Nesta quinta-feira 04/08/2011, o Dia D de combate a dengue chega na comunidade de Jardim Copacabana. Neste dia serão realizados atividades de intensificação de visitas domiciliares, com o objetivo de orientar a população a respeito das medidas de prevenção para evitar a proliferação do mosquito transmissor da dengue. Além desta atividades também ocorrerá mutirão de limpeza em parceria com a Secretaria de Serviços Urbanos e Habitação que irá recolher os entulhos onde o mosquito pode proliferar como pneus, garrafas, caixas, vasos e recipientes que possam acumular água, também acontecerão apresentações teatrais, participação de estudantes e panfletagem.

O trabalho é de conscientização, tendo em vista que em períodos de chuva aumentam os casos de vítimas da doença, por isso é importante que a população colabore com essa campanha preventiva, não deixando esses materiais expostos, a fim de evitar a proliferação do mosquito.

E nunca é demais lembrar que para prevenir a proliferação devemos evitar água parada, manter cisternas, caixas d’água e reservatórios fechados, guardar garrafas emborcadas, pneus em locais que fiquem protegidos da chuva e limpar periodicamente as calhas do telhado.

segunda-feira, 1 de agosto de 2011

Resultados do IV LIRAa

 
No período de 04 à 08 de julho de 2011 foi realizado o IV° LIRAa (Levantamento de Índice Rápido do Aedes aegypti) em Jaboatão dos Guararapes. O LIRAa é uma ferramenta que possibilita a identificação de áreas com risco de transmissão da dengue, mediante a identificação de imóveis com criadouros do mosquito transmissor da doença. A partir dos resultados obtidos nós poderemos intervir, de forma rápida, nos locais que apresentarem os maiores índices de infestação do mosquito da dengue, diminuindo o risco de transmissão no município.

Clique aqui e veja os resultados do IV LIRAa por bairro.

sexta-feira, 22 de julho de 2011

Igreja adere à campanha de combate à dengue


O combate ao mosquito transmissor da dengue deve ser constante. Especialmente nesse período chuvoso, em que o acúmulo de água parada permite a proliferação do Aedes Aegypti. Como esse cuidado deve ser de todos, a Secretaria de Saúde de Jaboatão dos Guararapes ganha o apoio dos membros da Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias para a realização de um mutirão contra a dengue, no dia 30/07.

O programa “Mãos que ajudam” é uma ação simultânea da igreja realizada em todo o país. Ela mobiliza cerca de 120 mil voluntários. Em Pernambuco, os municípios de Jaboatão, Recife e São Lourenço da Mata receberão o mutirão. A expectativa é que, apenas em Jaboatão, duas mil pessoas participem do programa.

“Essa ação é uma forma de conscientizar os nossos membros e toda a população sobre os serviços públicos. Além disso, é nosso dever servir à população com nossas orientações. E a dengue é uma doença que, se não combatida, pode se tornar um problema social de grande densidade”, explicou Paulo de Tarso Almeida Saihg, diretor de Assuntos Públicos Regional da Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias.

De acordo com a Secretaria de Saúde de Jaboatão, a pedido da direção da igreja, no próximo domingo (24/07), agentes da secretaria darão um curso de capacitação em todas as capelas situadas no município (Ver endereços abaixo). Nele, os membros líderes da Igreja saberão a melhor maneira para abordar a população com panfletos. “Ensinaremos também como preencher os formulários de notificação de foco da dengue”, lembrou Elizabeth Jerônimo, Coordenadora de Vigilância e Controle da Dengue de Jaboatão.


LEIA MAIS.

quinta-feira, 21 de julho de 2011

Brasil usa Twitter contra a dengue


“Minha mãe está com suspeita de dengue”, tuitou uma mulher no Rio de Janeiro. A 350 quilômetros de distância dali, em São Paulo, outra pessoa tuitava: “Acho que estou com dengue. Tomara que eu esteja errado!”.

Pequenas mensagens curtas como essas postadas no Twitter podem parecer ineficientes, a não ser para assustar as pessoas que te seguem. Mas, por incrível que pareça, elas podem ajudar o Brasil a controlar o vírus que mata centenas de pessoas todos os anos, o que provoca a dengue.

Tudo isso graças a um software criado por brasileiros do Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia. A equipe tem usado o programa para fazer a correlação entre a data e a localização das pessoas que tuitaram algo relacionado à doença e as estatísticas oficiais da dengue em cada região.

Essa não é a primeira vez que a mídia social foi usada para a vigilância de doenças: o Twitter foi usado em 2009 para acompanhar a pandemia de gripe suína na população, por exemplo. Mas o site nunca antes tinha sido utilizado para rastrear a dengue, com a análise das cidades e dos indivíduos afetados. É também a primeira tentativa de coletar dados pessoais de usuários que contam suas experiências com uma doença em 140 caracteres.

Os surtos de dengue acontecem todos os anos no Brasil, mas os focos afetados variam a cada temporada. Podem levar semanas para que todos os dados médicos sejam analisados de maneira geral, criando uma dor de cabeça para as autoridades de saúde. Com a análise via Twitter, essas respostas podem vir de maneira muito mais rápida.

O software tem um funcionamento simples: ele filtra todos os tweets que contém a palavra “dengue”, coletando informações do usuário, como a sua localização. O aumento do uso da internet no Brasil tem facilitado a eficiência desse aplicativo.

A equipe pretende analisar agora 181.845 tweets enviados entre dezembro de 2010 e abril de 2011 para compará-los com os dados oficiais do Ministério da Saúde. Termos como “dores nos ossos” e “dor no olho”, que são sintomas típicos de dengue, estão agora incluídos no software da equipe brasileira. A expectativa é a de que a cada ano seja maior o número de dados coletados – e mais eficaz a luta online contra a dengue.

quinta-feira, 7 de julho de 2011

Ministério quer usar redes sociais para combater a dengue

Quinta, 07 Julho 2011 07h45
Brasília – Para o combate à dengue no verão de 2012, o Ministério da Saúde estuda uma nova ferramenta: usar as redes sociais, como o Twitter, para identificar com antecedência focos da doença.

A ideia vem de uma experiência feita pela Fundação Google, há três anos, nos Estados Unidos, sobre casos de gripe. Por meio de um software, a entidade fez um mapeamento em sites de citações relacionadas à doença. Isso porque muitas pessoas entram na rede mundial de computadores para saber sobre sintomas de uma doença ou avisam amigos que estão doentes, mesmo antes de procurar um médico. A partir das informações colhidas, foi possível identificar o início de ondas de casos de gripe com antecedência.

De olho nesses “rumores” que circulam nas redes sociais é que o governo aposta  em conseguir identificar onde os casos de dengue estão surgindo e armar a contenção . “As pessoas postam na internet, por exemplo, que estão com dengue ou usam os sites de busca para saber sobre os sintomas da doença. Essas informações aparecem mais rápido do que nos sistemas de saúde”, explicou o secretário de Vigilância em Saúde, Jarbas Barbosa.

A equipe do ministério vai conhecer um programa de computador desenvolvido por um grupo de pesquisadores da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) que faz esse tipo de busca. Se aprovado, a ideia é começar a usá-lo em janeiro do próximo ano na campanha contra a dengue.
Segundo o secretário, a vigilância na internet não irá substituir o sistema oficial de notificação da doença. A busca nas redes sociais vem para complementar o controle da dengue, conforme Barbosa. A previsão é que o ministério apresente novas estratégias de combate à doença em agosto, com foco no verão de 2012.
Fonte: Agência Brasil

segunda-feira, 4 de julho de 2011

Confira os sintomas da Dengue

seta Dengue Clássica
Mais Febre alta com início súbito.
Mais Forte dor de cabeça.
Mais Dor atrás dos olhos, que piora com o movimento dos mesmos.
Mais Perda do paladar e apetite.
Mais Manchas e erupções na pele semelhantes ao sarampo, principalmente no tórax e membros superiores.
Mais Náuseas e vômitos·
Mais Tonturas.
Mais Extremo cansaço.
Mais Moleza e dor no corpo.
Mais Muitas dores nos ossos e articulações.

seta Dengue hemorrágica
Os sintomas da dengue hemorrágica são os mesmos da dengue comum. A diferença ocorre quando acaba a febre e começam a surgir os sinais de alerta:
Mais Dores abdominais fortes e contínuas.
Mais Vômitos persistentes.
Mais Pele pálida, fria e úmida.
Mais Sangramento pelo nariz, boca e gengivas.
Mais Manchas vermelhas na pele.
Mais Sonolência, agitação e confusão mental.
Mais Sede excessiva e boca seca.
Mais Pulso rápido e fraco.
Mais Dificuldade respiratória.
Mais Perda de consciência.

quinta-feira, 30 de junho de 2011

Universitários criam jogo de computador que ensina a combater mosquito da dengue

Engenho Velho é contemplado com o Prefeitura com Você

 O Prefeitura com Você promove, nesta quinta-feira (30/06) mais uma edição do programa. Desta vez os serviços de saúde e cidadania serão oferecidos a população do Engenho Velho, Regional Jaboatão Centro. Os interessados poderão procurar pelas ações no horário, das 8h às 16h, no Pátio da estação do Metrô, localizado na Rua Rosenilda Nunes. O prefeito Elias Gomes realizará uma plenária na localidade para conversar com os moradores e saber os problemas enfrentados por eles no bairro.

Leia Mais.

segunda-feira, 27 de junho de 2011

Dengue pode ter vacina até 2015, garante laboratório francês

Uma nova vacina pode evitar os casos de dengue, doença tropical responsável por mais de 20 mil mortes todos os anos. Dois grandes laboratórios farmacêuticos estão na corrida para desenvolver o que poderá ser a solução contra o vírus transmitido pelo mosquito Aedes aegypti.

São positivos os primeiros resultados obtidos pelo grupo francês Sanofi Pasteur. "É a primeira vez que se chega a essa etapa clínica", garante o porta-voz do laboratório, Benoit Rungeard. "A pesquisa para uma vacina começou há mais de 60 anos e há 20 anos que nós trabalhamos nisso".
Testes vem sendo realizados com crianças e adolescentes desde o segundo semestre de 2010 no estado do Espírito Santo e devem durar três anos. A região brasileira foi selecionada pelo índice de doentes. De acordo com informações do laboratório, os participantes são voluntários e sabem que participam dos testes. São comparados os resultados de grupos que receberam e grupos que não receberam a vacina. Esses ensaios clínicos são autorizados pelo Ministério da Saúde e acompanhados por equipes médicas locais.

As primeiras aplicações da substância começaram a ser realizadas em 2009, em Bangcoc, na Tailândia, com quatro mil crianças. O controle de eficácia inclui experimentações ainda em outros 15 países, nas zonas mais atingidas da Ásia e América Latina.

LEIA MAIS

quinta-feira, 16 de junho de 2011

Dengue já é ameaça também nos Estados Unidos

A dengue é uma das mais importantes doenças transmitidas por vetores na América Latina. Seu perigo reflete a sua rápida expansão, tanto em termos de áreas de transmissão quanto em número de pessoas afetadas. No entanto, essa preocupação que antes estava presente somente me países latinos, começa agora a se instalar em outros países do continente, como os Estados Unidos.

quarta-feira, 8 de junho de 2011

Google cria site para rastrear ocorrências de dengue pelo mundo

Ferramenta indica grau de atividade da doença em vários países; Brasil é o que tem a situação mais crítica.

 A Google.org, braço filantrópico da Google, criou um hotsite para acompanhar os casos de dengue pelo mundo. A informação foi divulgada na tarde de segunda-feira (30/5) pelo blog da organização.

Segundo a Google.org, a metodologia utilizada no Google Dengue Trends é a mesma que foi utilizada no Google Flu Trends - um hotsite criado em novembro de 2008 para acompanhar epidemias de gripe pelo mundo.
"Dengue é um vírus que se espalha por meio de picadas de mosquito e que afeta cerca de 100 milhões de pessoas por ano", explica a Google.org, no blog. "Com dados da Bolívia, Brasil, Índia, Indonésia e Cingapura, o Google Dengue Trends fornece uma ferramenta adicional de vigilância."
A incidência de dengue pelo mundo é mostrada por meio de um mapa-mundi. Uma escala de cores indica o grau de atividade da doença.
O Brasil é o país com situação mais crítica (moderada); na Bolívia, a atividade é classificada como baixa e, na Índia e na Indonésia, como mínima. Um clique no país traz um gráfico com a evolução da doença mês a mês.
O hotsite pode ser visto na página www.google.org/denguetrends.


 

segunda-feira, 30 de maio de 2011

Sinais da Dengue em crianças são parecidos com a gripe

Fiscalize a vizinhança: RUAS

01. Carcaça de carro abandonada - Denuncie à Prefeitura e peça remoção. Ou, antes, peça que o dono o faça.
02. Lixo - Denuncie ou tome a iniciativa de reunir amigos e fazer um mutirão para retirar a sujeira.
03. Pneus - Do mesmo modo, denuncie pelo telefone ou reúna amigos e faça um mutirão.
04. Entulho -Peça ao proprietário que retire.Você pode também denunciar ou organizar um mutirão.
05. Água empoçada - Faça mutirão e retire a água.
06. Água em cobertura de ponto de ônibus - Denuncie ao Consórcio Grande Recife 08000810158.
07. Marquise de loja - Fale com o proprietário ou denuncie.
08. Bueiro entupido -Denuncie à Prefeitura.
09. Buraco - Denuncie.Se possível, faça mutirão para tapar.
10. Ferro-velho - Converse como proprietário ou denuncie.

  NÃO ESQUEÇA: A DENGUE SE COMBATE TODOS OS DIAS.

terça-feira, 24 de maio de 2011

Fiscalize a Vizinhança: ESCOLAS

1. Copos descartáveis e latas de refrigerantes no pátio - Jogue no lixo. E procure a direção para que os alunos e funcionários sejam orientados a não mais deixar o material ao relento.

2. Caixa d’água sem tampa - Procure a direção da escola.

3. Material de construção
- Argumente que o material exposto à chuva também pode servir como criadouro do mosquito.

4. Bandejas de ar-condicionado e de freezer
- Pergunte se a escola orienta os funcionários a tirar a água acumulada nelas.

5. Piscina sem uso
- Procure a escola e peça que a água seja tratada. Ou que esvaziem a piscina e cubram o local para não acumular água de chuva.

6. Calhas
- Questione se,após cada chuva, elas são limpas e secas.

 NÃO ESQUEÇA: A DENGUE SE COMBATE TODOS OS DIAS.

quinta-feira, 19 de maio de 2011

Fiscalize a vizinhança: CEMITÉRIOS

1. Vaso e jarro de planta - Tire a água ou procure a administração e alerte sobre o risco.

2. Água empoçada no chão - Tire com rodo, se possível, ou peça que a administração determine que um funcionário o faça.

3. Depósitos de água sem tampa - Oriente a administração a cobrir o recipiente para que não sirva de foco de dengue.
 
4. Água empoçada em túmulo-Vá à administração e informe que o local pode se tornar foco do inseto.


 NÃO ESQUEÇA: A DENGUE SE COMBATE TODOS OS DIAS.

quarta-feira, 18 de maio de 2011

Pesquisa revela hábitos da fêmea do mosquito da dengue

 

Estudo pode ajudar no combate ao mosquito transmissor da doença

 Fêmeas do mosquito Aedes aegypti têm maior atividade locomotora quando estão infectadas pelo vírus da dengue. Esse foi o resultado de um estudo realizado pelo Instituto Oswaldo Cruz, no Rio. Em comparação com fêmeas não infectadas, elas apresentaram aumento que varia de 10% a 50% na atividade. Segundo os pesquisadores, a mudança de comportamento pode estar relacionada ao relógio circadiano, como é chamado o mecanismo interno que controla os ritmos biológicos com período de aproximadamente 24 horas. O resultado da pesquisa pode ajudar a conhecer melhor os hábitos do Aedes e, assim, ajudar nas estratégias de combate ao mosquito transmissor da doença.

Iniciado em 2008, o estudo monitorou a atividade locomotora de mosquitos infectados e não infectados pelo sorotipo 2 do vírus da dengue.

“O aumento da atividade locomotora das fêmeas infectadas pode afetar alguns aspectos de sua biologia, como a maior procura por hospedeiro e, por isso, acreditamos que essa característica possa ter desdobramentos na dinâmica de transmissão da doença”, esclarece a pesquisadora Rafaela Bruno,uma das autoras do projeto. “O Aedes aegypti é um mosquito diurno, porém verificamos que, no grupo de fêmeas infectadas, o aumento da atividade também ocorreu durante a noite. Como é oportunista, ele pode utilizar essa atividade extra no período noturno, horário em que o hospedeiro está mais vulnerável”, acrescenta Tamara.

De acordo com Rafaela Bruno, não é possível afirmar se a alteração verificada no estudo ocorre também com mosquitos infectados por outros tipos do vírus da dengue.

“Fatores como a resposta imune do mosquito podem fazer com que os resultados sejam diferentes”, explica. O próximo passo do trabalho é a investigação dos genes que estão envolvidos na mudança de comportamento observada. “Já temos ensaios preliminares que mostram que, na situação de infecção pelo vírus, os genes associados à regulação do relógio circadiano do vetor são afetados, mas agora vamos fazer um estudo mais abrangente”, concluiu a pesquisadora. 

 

Com informações do Instituto Oswaldo Cruz

Agência Espacial Europeia monitora mosquitos por satélite

Os mosquitos transmissores de dengue, malária e outras doenças infecciosas começaram a ser monitorados por satélite pela Agência Espacial Europeia (ESA). O trabalho começou na Europa, mas poderá ser ampliado para outras regiões do mundo, caso os resultados se mostrem relevantes no combate de doenças.
Chamado Vetmap, o sistema criado pela ESA usa imagens obtidas por satélites e dados coletados em campo por pesquisadores e agentes de saúde. O sistema combina dados meteorológicos e de ocupação urbana com registros de incidência de mosquitos. A ideia é alertar com bastante antecedência quando houver risco de proliferação de mosquitos numa área. Por enquanto, os principais objetivos são evitar casos de dengue e da febre do oeste do Nilo na Europa. 


terça-feira, 17 de maio de 2011

Será que repelente ajuda no combate à dengue?



Com medo de contrair a doença, população tenta se proteger do mosquito de diversas maneiras. Uma delas é o repelente alternativo. Mas será que estes produtos realmente funcionam?

quinta-feira, 12 de maio de 2011

Lei prevê multa de até R$ 20 mil a donos de casas com focos do mosquito em Natal


Proprietários de casas de veraneio em Natal (RN) - que ficam a maior parte do ano fechadas - devem ficar atentos. A lei municipal publicada no Diário Oficial do Município na quarta-feira (27/04) prevê aplicação de multa de R$ 200 a R$ 20 mil e o ingresso aos imóveis com focos do mosquito transmissor da dengue. "A intenção da criação da lei é criar mecanismos de sanção a quem dificulta o combate à dengue", justificou o secretário de saúde da capital, Thiago Trindade. "Os primeiros resultados efetivos do cumprimento da lei serão vistos no início de maio", prevê Thiago.

Estima-se que há 20 mil residências fechadas na capital, o que corresponde a cerca de 18% do total. A partir desta quinta-feira (28), os 150 agentes contratados pela organização social ITCI e os 320 agentes municipais serão colocados a par da nova orientação. "Depois, ao invés de apenas notificar o abandono do imóvel, o agente terá esse mecanismo coercitivo", disse Trindade. "Além do relatório de todos os imóveis no sistema informatizado da Secretaria de Tributação, fazemos sobrevoos para identificar macrofocos. Com certeza a existência de residências fechadas são um dos maiores entraves ao combate à dengue".

Os proprietários dos imóveis devem permitir o ingresso das autoridades sanitárias para realizar inspeção, verificação, orientação, informação, aplicação de inseticida ou qualquer outra medida de combate à dengue. Caso se confirme que não moram pessoas na casa, nem qualquer responsável na visita dos técnicos, será registrada a ausência em um auto de fiscalização sanitária, que terá uma cópia afixada à porta do imóvel. Esse procedimento se repetirá em uma segunda visita, mas na terceira a prefeitura poderá, literalmente, arrombar a porta dos imóveis.

Nesse caso, será lavrado um Auto de Ingresso Forçado em nome do morador e do domicílio, residência ou terreno. A partir daí, mesmo que o dono se recuse a assinar o documento, será substituído por duas testemunhas. Um técnico habilitado em abertura de portas irá recolocar as fechaduras após realizada a ação de vigilância sanitária. A lei também especifica que a autoridade sanitária poderá requerer auxílio de autoridade policial.

No Paraná bandidos se disfarçam de agentes da dengue

Golpistam entram nas casas para roubar moradores de Umuarama.

segunda-feira, 9 de maio de 2011

Pesquisadores investigam mutações do vírus da dengue

Rio - Pesquisadores da Fiocruz compararam, pela primeira vez, milhares de sequências genéticas do vírus da dengue descritas ao redor do mundo em busca de pistas sobre as áreas que mais sofreram mutações (polimorfismos) e o que isso pode indicar sobre os diferentes tipos do vírus.

Mais de três mil sequências foram extraídas do banco de dados público do Laboratório Europeu de Biologia Molecular (EMBL). Os passos seguintes foram identificar uma sequência completa de cada sorotipo do vírus para tomar como referência, comparar com as outras para averiguar as áreas que sofreram mutações e, por fim, determinar a taxa de mutações. Entre as regiões do RNA viral investigadas, destacou-se a que se relaciona com a RNA polimerase, enzima que catalisa a síntese do material genético do vírus.

- Observamos que o vírus tipo 2 (DENV-2) da doença apresentou uma taxa de mutação, em média, duas vezes maior que a dos outros tipos e até quatro vezes maior que a do tipo 1 (DENV-1) - descreve o geneticista Nicolas Carels, coordenador do projeto e pesquisador do Instituto Oswaldo Cruz (IOC) da Fiocruz. - É interessante notar também que, como as sequências que comparamos vêm do mundo inteiro, os resultados apontam para o comportamento desse sorotipo em nível global. O DENV-2, em comparação aos outros tipos, tem mais capacidade de sofrer mutações e gerar novos tipos mais perigosos de vírus.

Com informações do Instituto Oswaldo Cruz (IOC)
 

quinta-feira, 5 de maio de 2011

Evite o mosquito da dengue na sua piscina


  
Recentemente, a Organização Mundial da Saúde (OMS) considerou a dengue um dos principais problemas de saúde pública do mundo, com cerca de 100 milhões de pessoas infectadas em mais de cem países. Uma divulgação maciça em toda a mídia nos alerta sobre a necessidade de eliminar os criadouros do mosquito transmissor da doença, Aedes aegypti, evitando deixar água parada em locais como vasos de plantas, pneus e caixas-d’água. Mas o que muitos não sabem é que a piscina também pode ser um grande foco de ovos e larvas. A comparação entre os meses de janeiro a março de 2010 e 2011 aponta para uma redução de 43% no total de casos notificados neste período. Apesar dessa redução global, 15 estados apresentaram aumento no número de casos, quando comparado ao mesmo período do ano anterior. 
Água sem tratamento é um convite ao mosquito. É nas paredes da piscina, próximo do nível da água, que ele deposita os seus ovos – cerca de cem ovos – que podem eclodir depois de alguns dias ou até depois de dois anos. Por isso manter a piscina tratada com cloro regularmente é muito importante. Só assim se pode evitar a formação dos ovos do Aedes aegypti.
Segundo Fábio Forlenza, responsável técnico por treinamentos para tratamento de água da hth, empresa líder mundial em tratamento de piscinas, o ideal é aplicar cloro três vezes por semana e realizar a limpeza das bordas com uma esponja, no mínimo, uma vez por semana. “É na borda e na superfície da piscina que o mosquito deposita seus ovos. Além disso, é fundamental que seja realizada uma manutenção adequada com cloro para manter a água saudável e livre da dengue. É preciso observar diariamente o residual de cloro ativo presente na água e mantê-lo nos padrões recomendados”, explica Fábio. O profissional também lembra que, além desses cuidados, deve-se realizar periodicamente a filtragem da água da piscina.

sexta-feira, 29 de abril de 2011

Dia D de combate à dengue chega em Sotave

Seguindo a programação da Secretaria de Saúde da Prefeitura Municipal do Jaboatão dos Guararapes, teremos nesta sexta-feira 29/04 o Dia D de combate a dengue na comunidade de Sotave. Neste dia serão realizados atividades de intensificação de visitas domiciliares, com o objetivo de orientar a população a respeito das medidas de prevenção para evitar a proliferação do mosquito transmissor da dengue. Além desta atividades também ocorrerá mutirão de limpeza em parceria com a Secretaria de Serviços Urbanos e Habitação que irá recolher os entulhos onde o mosquito pode proliferar como pneus, garrafas, caixas, vasos e recipientes que possam acumular água, também acontecerão apresentações teatrais, participação de estudantes e panfletagem.

O trabalho é de conscientização, tendo em vista que em períodos de chuva aumentam os casos de vítimas da doença, por isso é importante que a população colabore com essa campanha preventiva, não deixando esses materiais expostos, a fim de evitar a proliferação do mosquito.

E nunca é demais lembrar que para prevenir a proliferação devemos evitar água parada, manter cisternas, caixas d’água e reservatórios fechados, guardar garrafas emborcadas, pneus em locais que fiquem protegidos da chuva e limpar periodicamente as calhas do telhado.

Bem vindo ao nosso blog!

Nosso objetivo é que você esclareça todas as suas dúvidas sobre a dengue. Esperamos também a sua colaboração na luta contra o mosquito.